terça-feira, 27 de outubro de 2009

Playa del Carmen

Fonte: Viaje na viagem

Autor - Ricardo Freire

Esta é a sua Playa?

Esta é a sua Playa?

Minha primeira vez em Playa del Carmen (”Playa”, para los íntimos) foi em 2002, a caminho de Cuba. Aproveitei que tinha milhas Smiles sobrando e que havia o vôo direto da Varig a Cancún, e fiz uma escala por ali. Nunca tinha pensado em ir a Cancún, mas o Nick insistiu para que parássemos por uns dias, porque eu tinha que ter uma opinião própria sobre Cancún. (Lembre-se de que naquela época eu era publicitário e não tinha blog nem nada; colaborava com a Vip, era só um hobby.)

Ao pesquisar Cancún, deparei com esse lugar de que ninguém falava no Brasil. Playa del Carmen? Que raio de praia é essa? Fucei aqui, fucei acolá, e algo me disse que era um lugar que valia pena conferir. Resolvi dividir a estada meio a meio entre Cancún e Playa.

Minha intuição não tinha se enganado. Playa era um lugar adorável. Tinha uma praia mais gostosa do que Cancún (a mesma cor, só que menos agitada, mais piscininha) e quilômetros de areias desertas na direção norte. E o centrinho, se por um lado era bem feioso nas imediações do píer de embarque do ferry para Cozumel, ficava uma gracinha a umas 10 quadras dali, quando ficava com cara de Búzios. O lugar tinha até uns hoteizinhos-butique bacanas! Resultado: Playa entrou direto para o meu top de recomendações do Caribe.

Mamita's Beach Club, Playa del Carmen

Mamita's Beach Club, Playa del Carmen

Voltei a Playa em 2006 e levei um susto: o lugar tinha crescido bastante. Ainda continuava recomendável e, na minha opinião, muito mais bacana do que Cancún; os tais quilômetros de areias desertas na direção norte, porém, tinham sumido, e dado lugar a clubes de praia, hotéis e condomínios.

Fiz questão de passar uma noite por lá, nesta viagem de agosto pela Riviera. Encontrei Playa um pouquinho melhor do que da última vez. A bolha imobiliária lhe fez bem — algumas construçõezinhas insalubres mas bem-localizadas foram substituídas por edifícios baixos de bom padrão, o que deu um “up” para a beira-mar do centrinho.

Quinta Avenida, Playa del Carmen

Quinta Avenida, Playa del Carmen

A vida noturna também me pareceu ainda mais desenvolvida. O finzinho da rua 12 virou um antro de bares e discos. E a megaboate Coco Bongo, originária de Cancún e famosa pelos seus shows superproduzidos, abriu uma filial em Playa.

No fim das contas, Playa é o lugar mais versátil da Riviera. Pode ser curtida tanto como uma micro-Cancún construída em escala humana (tradução: percorrível a pé) quanto como uma mega-Geribá (com uma Rua das Pedras anexa).

Durante o dia você escolhe entre os dois grandes clubes de praia, o Mamitas ou o Kool by Playa Tukan. No começo da noite tem o footing na Quinta Avenida, a rua das lojinhas e restaurantes. Os metidos dão uma passadinha nos bares dos hotéis-design Deseo ou Básico (ambos na Quinta Avenida), e os notívagos se dirigem depois para o final da rua 12 e escolhem o que lhes parecer mais animado.

A hospedagem mais bacana é a do Mosquito Beach, o único hotel-butique pé-na-areia. Na Quinta Avenida ficam os outros três: o pioneiro Mosquito Blue (que agora, um tanto atrasado, ganhou ares starkianos) o charmoso Deseo e o esquisito Básico.

Há dois hotelões à beira da praia, e perto da zona dos beach clubs: o Porto Real e o suntuoso Royal Playa del Carmen. Ambos são oferecidos em pacotes de algumas operadoras, como a Nascimento.

Playa também é bem melhor do que Cancún para quem quer ir por conta própria e se hospedar baratinho. Desta vez eu fiquei num hotel basiquinho porém com bons equipamentos (ar split, wireless grátis), o Barrio Latino (paguei 60 dólares na baixa). Outras opções em conta na cidade são o Lunata e o Tropical Casablanca (este, só para quem quiser aproveitar a noite, que fica ao lado).

O azul é bebê porque o branco é talco

O azul é bebê porque o branco é talco

Playa está a 50 km do aeroporto de Cancún e a 70 km da zona hoteleira. Os parques X-Caret e X-plor ficam a menos de 3 km. Tulum está a 70 km.

Nenhum comentário: